sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Apenas um corpo.

Reticências que indeterminam minha vida
Paralisada, em becos sem saídas
Vontade de voar, mas com os pés no chão
Vendo meus sonhos se distanciarem livres
E não existe nem um raio de luz pra me iluminar

Torturaste minha mente, minha alma
Torturaste minha vida, meu espírito

Agora eu sou apenas um corpo.

3 comentários:

Vicky! disse...

As linhas são incríveis, mas me perturbam as entrelinhas ...

Be Atriz. disse...

Ah, não deixe teus sonhos se distanciarem de ti... sei lá, sem os sonhos não somos nada.

ARFERLANDIA disse...

Porque somos gente, nada destroi a nossa mente, quando muito perturba momentâneamente.
e depois basta ouvir a "Banda" de Chico Buarque. "Ver a banda passar cantando coisas de amor..." e aí nasce a luz do reencontro com um caminho novo. Viva os seus sonhos, mas saiba que não há príncipes encantados.

BEM HAJA

ARFER